segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Solas macias

Sai do trabalho e fui almoçar no Bom Prato. Peguei uma fila pequena e depois de pegar o bandejão, fui me sentar. 

Logo que sentei, um rapaz que estava ao lado de um senhor que estava na minha frente, puxou conversa comigo. 

Ele acenou com as mãos, mas não havia reconhecido. Era um dos sem-tetos que tinha conhecido. O cara falou que ficou sabendo que eu havia trazido roupa para ele. 

Disse que como não o tinha encontrado, acabei dando para outras pessoas. Disse que quando desse, traria de novo.

Ele contou que estava tirando documentos para arrumar um emprego. Reparei que ele estava mais arrumado e limpinho. 

Fiquei contente. Se não tivesse falado comigo, não teria reconhecido.
Dei um rolê pelo centro para fazer algumas coisas e depois fui até o terminal central para pegar o busão. 

Enquanto esperava sentado, um carinha de no máximo uns vinte anos passou por mim e me chamou a atenção. O cara tinha as pernas bem grossas e peludas. 

Estava usando chinelo e tinha uma sola bem macia e rosada. Quando ele andava, as solas pareciam de crianças de tanta maciez. Estava bem limpinhas e devia calçar 40. Apesar de não ser pés grandes, o formato dos pés eram largos, do jeito que eu gosto. 

As unhas estavam bem limpinhas. Fiquei com muito tesão e quase gozei na calça.
Quando o busão chegou, tentei avistar o cara pela última vez, mas perdi ele de vista. 

Entrei no busão que era tipo sanfona, e fui na parte traseira. Logo que sentei, reparei que aquele carinha estava logo adiante. 

Estava sentado ao lado de uma mulher. 

Queria ter ido ao lado dele para dar uma esfregada de pernas. 

Mas acabei indo sentado atrás mesmo. Pelo menos fui apreciando suas solas durante a viagem inteira. 

Teve uma hora que ele olhou para trás e acabei desviando o olhar. Mas sempre que dava olhava para as suas solas macias.

Ele desceu quase perto do terminal do bairro próximo ao meu. Espero encontrá-lo novamente.

Beijos nos pés!