quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Réveillon em Santiago

Diferente de Buenos Aires, resolvi com bastante antecedência ir para Santiago. Comprei as passagens três meses antes, reservei o hostel e comprei pesos argentinos e também alguns dólares de reserva.
Próximo do dia, eu estava meio desanimado. Só fui porque já estava com as passagens pagas e tinha dado uma entrada no hostel.

Na noite anterior fui dormir depois da meia noite e acordei algumas vezes de madrugada. Me programei para acordar as 6 da manhã. Tomei banho e terminei de arrumar a mala. 

Fiz a maratona de ônibus, trem, metrô e depois ônibus até Cumbica. Cheguei uma duas horas com antecedência e fui fazer o check in. 
Dessa vez tomei a água antes para não ter problemas. Fui arrumado e tirei o cinto e o celular para passar no detector de metais. 

Embarquei num avião da LAN e fui muito bem atendido pela comissária de bordo. Algumas poltronas estavam vazias e tinha bastante chileno no avião. Na hora da merenda, todo mundo ficou muito bem acordado para degustar o cardápio de réveillon.  

Quase para chegar em Santiago, avistamos as Cordilheiras dos Andes. Lembrei das aulas de geografia e tive a minha primeira grande EMOção antes mesmo de chegar em Santiago. As Cordilheiras com ou sem nevasca estão no meu TOP 10 de Santiago.

Quando desembarquei, pegue as malas e fui logo trocar uma nota de dez mil pesos para poder tomar o busão. 
Quando saí pela porta, vários taxistas me abordaram. Eles pareciam abelhas no mel. Tomei o busão de $ 1.600 pesos.
Desci na estação Pajaritos e tomei o metrô ate a estação Baquedano que ficava perto do meu hostel.

Quando saí da estação, andei poucos metros até o meu edifício.
Toquei o interfone, mas o porteiro já tinha ido porque era véspera do feriado. 

O prédio é comercial, mas fora do horário comercial, só entra moradores. Enquanto falava com uma velhinha que morava no prédio para deixar eu entrar, se aproximou um brasileiro. Ele havia ficado no mesmo apartamento que o meu.

Enquanto esperávamos o elevador, chegou o outro brasileiro. Me apresentei e eles me levaram até o apartamento da dona do hostel que morava no mesmo prédio e era uma senhora idosa e bem simpática. Paguei o restante das diárias e depois fui para o meu quarto. Ela tem um gato que se dá bem com todo mundo.

Resolvi ficar neste hostel porque tinha lavanderia e era próximo do centro e do metrô. Não era tão lindo como na foto, mas era melhor do que imaginava. Era um apartamento com quatro quartos. Um individual que morava um chileno. Um quarto com banheiro que normalmente ficavam mulheres. Um quarto só com indianos. E o meu quarto que tinha o brasileiro que se encontrou comigo na portaria e um francês.

Diferente dos brasileiros de Buenos Aires, esses foram bem mais simpáticos e se tornaram grandes companheiros de viagem. 
O brasileiro fez eu experimentar a água da torneira que era salgada. Parecia soro fisiológico. Não teve jeito. Tive que comprar água potável sem sódio.

Saímos para fazer compras para o réveillon e encontramos o mercado fechado. Então fomos num mercadinho em frente ao hostel que tinha os preços um pouco salgado. Comprei um galão de água por quase $ 2.500 pesos. Normalmente era $ 1.300. Comprei principalmente frutas e um pacote de bolacha.

Voltamos e conversamos até a hora de ir para o réveillon.
Fomos para a Alameda Bernardo O Higgins para ver a queima de fogos, próximo do Palácio de La Moneda. Era uma espécie de "Réveillon da Paulista".

Depois andamos um pouco pela cidade e voltamos para o apartamento. Comi alguma coisa, depois lavei a louça e fui tomar banho para dormir. 

Beijos nos pés!

Feliz 2016!


"Bendita seja a data que une a todo mundo numa conspiração de amor."
Hamilton Wright Mabi

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Marlon Brando

Marlon Brando, Jr. (Omaha, 3 de abril de 1924 – Los Angeles, 1 de julho de 2004) foi um ator de cinema e teatro e diretor estadunidense. 

É saudado por trazer um estilo realista emocionante na atuação em filmes, e é amplamente considerado como um dos maiores e mais influentes atores de todos os tempos. 

Considerado um dos mais importantes atores do cinema dos Estados Unidos, Brando foi um dos três únicos atores profissionais, juntamente com Charlie Chaplin e Marilyn Monroe, a fazer parte da lista de 100 pessoas mais importantes do século compilada pela revista Time, em 1999. 

Foi uma celebridade pioneira a se manifestar pelos direitos civis dos negros, a protestar contra o tratamento do governo americano aos índios e a divulgar a causa ecológica quando ninguém sabia o que era isso.

Mas, apesar de uma vida pessoal conturbada, a profissional foi um estouro. O primeiro longa-metragem de Brando foi “Espíritos indômitos” (1950), de Fred Zinnemann. 

Depois vieram filmes como “Uma rua chamada pecado” (1951), de Elia Kazan, “O selvagem” (1953), de Laslo Benedek, e “Eles e elas” (1954), de Joseph L. Mankiewicz. 

Por “Sindicato de ladrões” (1954), de Kazan, ganhou seu primeiro Oscar; e por “O poderoso chefão” (1972), de Francis Ford Coppola, o segundo.

Também entraram para a história suas interpretações em “Último tango em Paris” (1972), de Bernardo Bertolucci, e em “Apocalypse Now" (1979), de Coppola.

Frases:
“Fui muito convincente em minha pose de indiferença. Mas eu era muito sensível e doeu muito.” 

“A autoestima do indivíduo neurótico diminui para nada se ele não é admirado. Ser admirado e respeitado é uma proteção contra o desamparo e contra a insignificância. E como ele se sente constantemente humilhado, será difícil para ele ter um amigo.” 

“Ninguém nasce mau. A maioria das pessoas simplesmente adquirem maus hábitos emocionais estabelecidos nos primeiros dez anos de sua vida.” 

“Todos são capazes de odiar, todos são capazes de amar. Se nos esforçássemos de um jeito ou de outro, poderíamos nos tornar assassinos ou santos.” 

“Passei a maior parte da vida com medo de ser rejeitado, e acabei rejeitando a maioria das pessoas que me ofereceram amor porque não conseguia confiar nelas.”

Fonte: Wikipédia.

 
 

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Feliz Natal 2015!


Sugestões de presentes para o Natal: 

Para seu inimigo, perdão. 
Para um oponente, tolerância. 
Para um amigo, seu coração. 
Para um cliente, serviço. 
Para tudo, caridade. 
Para toda criança, um exemplo bom. 
Para você, respeito. 
(Oren Arnold)

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Gatos e Gays (Pés e Solas)

Steve Grand
(Cantor, Músico e Compositor Country)


Luke Macfarlane
(Ator)

Lee Pace
(Ator)

Chris Salvatore
(Ator)


Luke Evans
(Ator)

Jon Kortajarena
(Modelo)

Blake McIver
(Ator)


Andrew Hayden-Smith
(Ator e Dublador)



Amini Fonua
(Nadador)

Paul Iacono
(Ator)