quinta-feira, 17 de maio de 2012

Gouinage

A palavra veio do francês, lesbianismo, porém não se associa somente às lésbicas em geral, mas remete à prática sexual delas, que consiste em sexo sem penetração.

Na França, a gouinage é discutida como uma nova tendência e ainda é assunto recente no Brasil.


No momento, a falta de informação sobre o assunto ainda é um inconveniente para o entendimento do que é a gouinage.

Alguns vão bem longe ao descrever comparando a gouinage ao sexo tântrico, mas ao contrário do sexo tântrico, na gouinage você não precisa necessariamente de técnicas para aumentar o prazer, precisa apenas de criatividade, quanto mais criatividade, maior o prazer. Outros a descrevem erroneamente como sexo preliminar, que consiste em promover a excitação do parceiro através de carícias, masturbação e sexo oral, mas isso daria à gouinage uma idéia de sexo incompleto quando na verdade não é.

Quantas vezes você já se envolveu emocionalmente com um cara e se decepcionou porque sexualmente curtiam a mesma posição? Como na gouinage não existem ativos nem passivos, ambos possuem a mesma vantagem sexual, ou seja, não há um indivíduo dominador ou submisso.


Os dois possuem a mesma responsabilidade, que é exclusivamente causar prazer. Como não há penetração não há também tensão, dor ou desconforto. Assim, se utiliza todo o ato sexual para a exploração dos sentidos, ou seja, o olhar, o toque, o cheiro, o gosto e isso permite levar o prazer a um nível bem mais elevado.

Então, a definição para a palavra gouinage pode se resumir a sexo sem penetração, porque na sua visão, a penetração é algo totalmente dispensável, mas o verdadeiro sentido vai muito além de qualquer definição.


Assim como existem ativos, passivos e versáteis, os chamados gouines são uma outra alternativa para o sexo, já que a gouinage compreende todos os ingredientes para se alcançar o orgasmo: estudar o corpo do parceiro, excitar, sentir e proporcionar prazer. Ou seja, de sexo incompleto não tem nada.
Nos poucos lugares do mundo onde o tema já está sendo discutido, a polêmica é inevitável. Os que são contra, consideram até mesmo que a prática é uma negação do sexo gay, e afirmam que para ser considerado sexo é indispensável que haja penetração. Do outro lado estão aqueles que descobriram na gouinage o prazer ideal, distante das tensões e desconforto causados pela penetração.


Tem muita gente que não entende e tem vergonha de assumir que não gosta de penetração, tanto numa relação ativa ou passiva.

Fonte: Thiago Maggioni


Dedico esse post ao Isaac.

Beijos nos pés!