quarta-feira, 7 de março de 2012

Homem das cavernas

Hoje quando sai do trabalho, tomei o ônibus com um colega novato. O cara é macho em todos os sentidos. Parece um ogro de tão macho. Moreno, alto, bem barbudo. Aquela barba que quando roça no pescoço até dói. É meio gordinho e barrigudo. Tem uma boca carnuda e vermelha. Tem cheiro de macho. Mas cheiro bom!

Sempre ele me cumprimenta. Gosto de ficar com ele, porque no meu trabalho tem muitos colegas homofóbicos e enrustidos. Ele é livre de preconceito. Na hora do intervalo, fico numa sala com alguns poucos funcionários que tem a cabeça mais aberta. Ele sempre está lá presente. Não conversamos muito. Ele é de pouca conversa, e eu também. Mas tem um olhar matador. Se não tivesse noiva, daria um bom caldo.

Enquanto estava no ônibus, reparei no seu pezão. Deve ser no mínimo 43. Tem um pezão gordinho, além de grande. Deve ser uma seda de tão macio. Gostaria de olhar esses pés. Às vezes ele estende a mão para me cumprimentar, e quando toco, sinto um frio na barriga. A maciez da sua mão é demais!



Fico imaginando aqueles pés grandes e gordos se esfregando aos meus. Deve dar um tesão danado.






O ônibus começou a ficar cheio. Então fiquei perto da porta. Tinha dois carinhas de bermuda que eram show. Um deles era meio gordinho. Tinha pernas bem grossas e peludas. Seus braços também eram grossos e peludos. Não deu para ver se tinha peito peludo. Adoro um peito peludo roçando em minhas costas. Dá muito tesão!

Enquanto olhava para o carinha de pernas grossas, reparei que tinham dois carinhas bem próximos de mim. Ficaram conversando besteira. Sobre alguém que queria fazer parte da turminha deles. Enquanto esperava o ônibus chegar em minha parada, comecei a sentir que um dos caras encostava a sua mão em cima da minha. Começou a me dar um tesão danado. A mão do cara era bem macia. Pena que tive que descer logo. Sempre que arrumo um cara desses, tenho que descer do ônibus.

Almocei no Bom Prato e depois fui ao banco pagar contas. Aproveitei e passei numa loja para comprar cuecas e também comprei uma camisa.

Fui ao mercado e encontrei com umas preciosidades. Esse mercado da minha cidade é grande. Sempre tem gente de primeira.


Enquanto escolhia um sorvete, passou um trintão com pernas brancas, grossas e peludas. Calçava uns 42. Pés brancos e rosados. Eram pés gordinhos e pareciam ser bem macios. Aquela sola rosada. Quase enlouqueci!


Até andei um pouco atrás do cara para tentar filmar suas belas pernas. Mas ele estava com muita pressa. Fiquei com esperança de encontrar com ele no caixa. Mas infelizmente não o encontrei mais. Até procurei o cara pelo mercado, parecia um maluco. Mais não o vi.


Depois disso, quando estava quase acabando minhas compras, passou um carinha de uns vinte e poucos. Além das pernas serem bem bonitas, eram grossas, morenas e peludas. Tinha uma bela tatuagem na perna direita. Como tinha acabado de comprar o que queria, caminhei atrás do cara para tentar filmá-lo.

Enquanto ajeitava minha câmera do celular, o cara correu para um caixa vazio e outra pessoa entrou atrás dele. Cortou o meu barato. Então desisti e fui embora. Lembrei de outra coisa que precisava comprar, e aproveitei para procurar mais um pouco o trintão. Mas infelizmente, o cara já tinha ido. Dessa vez, aqueles caras vão ficar apenas em minha memória.

Beijos nos pés!