segunda-feira, 12 de março de 2012

Sair do armário (1ª Parte)

Apesar de ainda estar nesse dilema, tentei continuar com a vida. Sábado fui novamente para São Paulo. Tive algumas respostas para o meu problema.


Quando peguei o busão, logo em seguida entrou um carinha de bermuda. Eu estava em pé perto da porta do fundo. Pelo reflexo do vidro da janela, vi que o cara era bom. Além do pernão, calçava uns 42. Pezão grande pra ninguém botar defeito.


Depois que ele entrou e sentou, entrou outro cara e sentou perto de onde eu estava em pé. O cara estava de bermuda e também tinha pernas bonitas. Teve uma hora que ele esticou e quase roçou nas minhas pernas. Rezei para isso acontecer. Mas como o ônibus estava cheio, não rolou nada entre nós. Percebi quando ele esticou as pernas que seus pés também eram grandes.

Tomei gosto pela coisa e sempre vou passear aos fins de semana. Saia pouquíssimas vezes. Às vezes somente à noite para a balada. De dia era mais caseiro. Cheguei a conclusão que precisamos curtir mais a vida. Ficar só vendo TV ou na Internet não vale muito à pena. É mais prazeroso o contato físico entre as pessoas.


Peguei o metrô e tentei filmar um carinha. Mais não deu. Era branco de pernas grossas e peludas. Calçava uns 40, mas seus pés eram bem bonitinhos. Ficaram conversando sobre alguém que quase brigou com um outro cara porque ele tinha tirado uma foto dele. Por isso, sou muito cauteloso quando vou filmar ou fotografar.

Quando saímos do metrô, o carinha foi em direção ao terminal do Tietê. Acho que ia viajar com o amigo. Aproveitei e filmei um pouco o cara. Pena que a imagem ficou em movimento e não ficou muito de boa qualidade. Quando conseguir, vou postar no blog.

Chegando ao Center Norte, encontrei muitos caras. Na entrada tentei filmar um carinha, mas ele entrou numa loja e aí eu piquei a mula.

Entrei numa loja de produtos esportivos para comprar uma mochila. Enquanto procurava a mochila, procurei por um chinelo que estou a fim de comprar. Quando estava quase saindo, resolvi passar na seção de calçados. Tinha um coroa experimentando um tênis. Estava só de bermuda. O tiozão devia ter uns 50 anos. Tinha umas pernas grossas e peludas. Seus pés eram bem cuidados. Só não filmei, porque tinha gente com ele. 

Mas dei uma bela olhada nos seus pés, enquanto ele experimentava o tênis.

Entrei noutra loja para procurar a mochila e encontrei outro paizão experimentando um sapato juntamente com o filho que era adolescente. Os dois tinham pés bonitos. Não sabia para onde olhar. Senti um tesão danado. Pai e filho juntos.

Várias lojas que entrei, sempre tinha algum pai de chinelo e bermuda. Adoro esse shopping. Quase quatro horas de viagem da minha casa até ele. Mas valeu a pena.


Amanhã continuo a minha saga.

Dedico o post de hoje ao meu mais novo seguidor que tem um blog chamado loko por pés masculinos e cócegas que eu adoro. Vale a pena dar uma conferida. Muitas fotos de boa qualidade. Pés para todos os gostos.

Beijos nos pés!