segunda-feira, 1 de abril de 2013

Vacinação



Uma das coisas que mais prezo em minha saúde é manter minha vacinação em dia. Este ano precisei renovar algumas vacinas, mas ficou faltando a vacina antitetânica. Fui três vezes no posto perto de casa, mas sempre alguma coisa dava errada. 

A primeira vez não tinha chegado, na segunda vez que fui já tinha passado o horário de vacinação e na terceira vez estavam fazendo fechamento para balanço.

A última vez que fui no posto foi antes do feriado. No caminho, passei por uma casa onde estavam três carinhas. Um deles ficou só me observando. Era um moreno de pernas grossas e peludas. 

Tinha um pezão bem gordinho e de sola vermelha. O cara ficou me secando com os olhos. Na volta, pensei até em ir pelo mesmo caminho, mas acabei indo por outro. Quis cortar caminho que nem a chapeuzinho vermelho. 

Fiquei meio triste por não ter me vacinado, mas acabei me conformando. Levo muito a sério a vacinação em dia e ando com minha carteirinha para todo lado.

Depois de muita peregrinação para me vacinar, decidi ir sábado de manhã antes de ir para São Paulo. Acordei cedo e sai de casa animado para tomar uma furada no braço.

No caminho, passei em frente a casa daquele carinha, mas ele não estava lá. Vi outros caras de bermuda e chinelo, mas nenhum me interessou.

Quando cheguei no posto, estava vazio. Achei estranho, porque sempre que vou lá está cheio de gente. Tinha um senhor que foi fazer curativo na mão e um casal com um bebê para se vacinar. Logo fui chamado para me vacinar. Pedi a vacina da gripe, mas não havia chegado. 

Então tomei somente a antitetânica no músculo deltoide. As outras que tomei dias atrás, foram dadas no músculo tríceps, aquele que fica na parte detrás do braço e doeu bem menos. Vou ter que esperar para tomar a da gripe, mas só se sobrar, porque a prioridade são idosos e gestantes.

Depois fui para o ponto de ônibus e esperei o busão para o terminal do bairro.

Moro aqui a dez anos e de vez em quando gosto de andar pelo bairro. Vou ao mercado comprar frutas e verduras frescas, vou de vez em quando no posto de saúde e de dois em dois anos vou votar numa escola próxima.

Apesar de ser meio chato sair de casa em pleno domingo para exercer a minha cidadania, gosto de ir porque no caminho sempre encontro com muitos carinhas de bermuda e chinelo.

Tem uma lanchonete com música ao vivo nos fins de semana que é o point do bairro. 

Só que a clientela é bem hétera, então nunca me interessei em ir. Qualquer dia vou ver se apareço por lá.

Beijos nos pés!