sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Cuidados básicos para os pés (2ª Parte)

Calos

O calo só é adquirido com o atrito. Se você não tirar o atrito ele vai ser seu amigo inseparável.
  
Para dar fim nesse tormento, opte por sapatos confortáveis que não pressionem de forma alguma seu pé.
Com o tempo o calo desaparece. Para quem tem pressa ou calos exarcebados, uma solução mais imediata é uma consulta a um podólogo


É aplicado emolientes e depois retirado com a ajuda de um bisturi para debastá-lo até chegar ao núcleo, que então é retirado.

Joanete

A única solução é procurar um ortopedista para fazer uma cirurgia. Um paliativo para o problema seria sapatos mais confortáveis.

Identificando e curando micoses
Os espaços entre os dedos são a principal área de aparecimento de micoses. Os fungos encontram ali um meio ideal de crescimento, úmido e quente. Por isso a importância de se manter sempre os pés secos e arejados. Fique atento se começarem a aparecer superfícies ásperas nos espaços entre os dedos e manchas e/ou destruição parcial em suas unhas.
Existem cerca de 100 tipos de fungos possíveis de causar doenças e só um dermatologista pode determinar o exato agente causador e dar início a um tratamento específico, que consiste na utilização de antifúngicos. Quando se trata de uma micose de unha, pode-se recorrer à utilização de esmalte com composto antifúngico. Não desanime com a demora nos resultados. Uma unha normal e sadia cresce apenas 2mm por mês.

Olho de peixe

Trata-se de apenas uma verruga no pé. É provocado por um vírus, que pode ser adquirido na praia, piscina, clube e em outros lugares bastante frequentado em que o pé fique exposto. É curado pelo mesmo processo de uma verruga simples: com um conta-gotas, pinga-se ácido sobre o relevo até ele desaparecer.

Unha infeccionada

No caso de uma unha infeccionada, o podólogo tem uma solução um pouco dolorida, mas bastante eficaz. Como a infecção é provocada por um pedaço de unha ou pele que cola na carne esponjosa do dedo, opta-se por retirá-la com um bisturi tudo o que está incomodando. Já alguns dermatologistas optam por retirar a unha, algo desaconselhado pelos podólogos.

Má circulação

Os problemas circulatórios podem causar grandes complicações aos pés. Pele brilhante, escamosa, cor pálida e baixa temperatura (pé gelado) são alguns dos sintomas que podem indicar problemas maiores. Um exame simples pode ser de precioso valor. Comprima a extremidade dos dedos dos pés durante 15 segundos.
Depois observe quanto tempo a extremidade leva para retornar à coloração natural. Menos de 5 segundos indica que a circulação está entre boa e ótima. Entre 6 e 10 segundos, regular, e acima de 10, péssima. É importante verificar sempre a pressão arterial e checar se existe presença de vasos venosos elevados e a coloração dos pés. Um podólogo pode dizer se é necessário procurar um cirurgião vascular.

Odores

A bromidrose (chulé) surge da reação química entre suor e bactérias que vivem em calçados e meias e normalmente varia de acordo com essas bactérias e os fungos que ali habitam. Para evitar sua presença desagradável no cotidiano, siga alguns cuidados básicos:
Após o banho, opte por meias de algodão e calçados com solado de couro, que absorvem umidade.

Usar talco anti-séptico.
Colocar o calçado em lugar arejado para estar sempre seco.

Higienizar periodicamente os sapatos: coloque três pastilhas de formalina, encontrada em drogarias, dentro do calçado e depois o envolva em filme de PVC. Deixe assim por três dias.

Cuidado com as lixas

A lixa é o maior transmissor de fungos que existe. Por isso, quando for a uma manicure/pedicuro, leve sempre a sua.

Fonte: GMagazine, por Marcos Abreu.

Beijos nos pés!