sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Pezão dentro do ônibus

Já passava das dez da noite. Então resolvi ir embora. Fui para a parada e fiquei esperando o ônibus. Enquanto esperava, se aproximou um morenaço de pés bem grandes. Estava só de chinelos. Não teve como reparar. Além de pernas morenas, grossas e bem peludas. O maledeto tinha uns pezões de dar água na boca. Fiquei de pau duro na hora. Aquele pezão vermelho. Unhas bem cortadas e limpas. Sua pele parecia bem macia e quente. Foi difícil me conter.

Quando entramos no ônibus, o cara sentou num banco da frete que era mais alto. Então eu resolvi sentar no banco detrás que era mais baixo. Fiquei logo atrás dele. Do meu lado sentou outro rapaz que também estava de bermuda. Mas mesmo assim, me fixei no tal carinha. Estava de boné e disfarcei o máximo que pude. Quando ele cruzava os pés e colocava para trás, dava para eu ver direitinho. Pareciam tão macios. Me deu uma vontade de tirar o tênis e dar uma esfregada naqueles pezões.

Enquanto fazia a viagem, pensei várias vezes em tirar o tênis, mas não tive coragem. Às vezes ele descruzava os pés e colocava-os mais para frente. Aí eu tinha de me abaixar um pouco para poder vê-los melhor. Teve uma hora que o carinha do meu lado se abaixou também para ver o que eu tanto via! Não sei se ele reparou na minha fixação pelos pés do cara, mas ele ficou meio desconfiado.

Quando chegou no terminal de ônibus, tive que descer para poder fazer a troca por outro busão. Infelizmente o cara ficou no ônibus e continuou sua jornada sem mim. Depois desse dia, sempre que ia à praia, levava os chinelos, com a esperança de me esfregar em alguém. Uma vez, um cara sentou na minha frente só de chinelo, então estiquei meus pés para tocar nos dele, mas ele imediatamente retirou-os afastando de mim. Acho que foi por reflexo, porque foi bem ligeiro. Depois disso, nunca mais esfreguei em nenhum pé dentro de um ônibus.

Dedico ao meu novo seguidor chamado Leco

Beijos nos pés!