terça-feira, 29 de novembro de 2011

Colega comprometido (2ª Parte)

Depois que a colega entrou, disfarçamos nossos olhares apaixonados como no filme "Brokeback mountain". Foi cada um para um lado. Depois disso, o pessoal começou a voltar e nos reunimos para um jantar de confraternização.

No meio da muvuca, alguém disse que tinha ido numa palestra da faculdade e visto o Leandro beijando a namorada. Disse que tinha sido um beijo tórrido. Nessa hora, gelei! Não tinha passado pela minha cabeça que o cara era comprometido. 

Foi um balde de água fria, mas sem ninguém precisar jogar em mim. Fiquei muito decepcionado, pois não compreendo esses caras que gostam de homem, mas ficam com mulher. Tenho certeza que o cara queria ficar comigo.

Depois que recebemos uma lembrança da chefia, o pessoal começou a ir embora. O Leandro foi um dos primeiros. 

Antes de sair, se aproximou de mim, deu uma olhada em minha boca e meus olhos, e perguntou se eu queria uma carona. 

Me deu uma vontade de voar no pescoço dele. Se tivéssemos sozinhos, tinha voado naquele pescoço. Tinha beijado e lambido muito aquela boca macia.

Como morava perto do trabalho, disse que não precisava, pois ficaria mais um pouco. O pior é que eu nem estava com vontade de ficar lá. Depois de um tempo, resolvi ir embora.

Fui para minha casa a pé. Pensando como teria sido a noite se tivesse pego carona com ele. Podia ter pego carona até o centro e depois voltado de ônibus, caso não rolasse nada! 

De qualquer maneira, na época não fiquei arrependido, porque não queria homem comprometido.

Mas se fosse hoje, com certeza iria até o fim!

Amanhã conto mais sobre ele.

Beijos nos pés!