sexta-feira, 15 de junho de 2012

Parada Gay (2ª Parte)

Entrei no metrô República. Desci a escada rolante, mas como tinha gente na minha frente, não deu tempo de pegar o vagão com as portas abertas. Depois que desci a escada rolante, passou por mim um carinha gordinho. Era branco e tinha um baita pezão. Percebi que o cara me deu uma olhada. Então quando passei por uma parede, ele começou a subir a escada rolante me encarando. Me deu vontade de jogar um beijo para ele. Ou devia ter acenado com as mãos. Perdi uma bela oportunidade.

 
 Acho que o cara gostou de mim, e eu dele. Me arrependi tanto de não ter feito nada. Até pensei em ir atrás dele, mas como tinha que voltar para casa, desisti da ideia. Se o cara não tomar a iniciativa, dificilmente eu tomo.

O trem estava em manutenção e devagar, quase parando. Me ajeitei perto da porta e fiquei lendo minha revista e escutando música. Foi uma viagem cansativa, porque o trem estava lento. Mas apesar de tudo, a viagem foi tranquila.

Chegando no terminal de ônibus da minha cidade, avistei um carinha de pernas peludas. O cara era bem bonitinho. A foto não saiu muito boa porque estava meio escuro. Demorei muito pra fotografar o cara e perdi o busão.


Por um lado foi bom, porque peguei um outro ônibus e desci no terminal Central. Chegando lá, encontrei um carinha meio gordinho com um baita pernão grosso e peludo. Meu coração bateu acelerado, porque tinha muita gente em volta. Mas dei um jeito de fotografar. Estava meio escuro no terminal, mas deu para ver que belas pernas o carinha tinha. Estava comendo salgadinho. Teve uma hora que ele puxou a bainha da bermuda para frente, porque estava aparecendo o coxão dele. Pena que não deu para tirar de frente.


De repente, o cara levantou e passou por trás de mim para jogar o saco de salgadinho no lixo. Depois ele voltou e passou por trás de mim novamente. Só não esbarrou em mim, porque eu estava com a perna dobrada. Quando ele passou, pensei em desdobrar e relar nele. Mas desisti da ideia. Logo em seguida, meu ônibus chegou. Entrei e fiquei no fundo e ele ficou sentado lá na frente. Desceu bem antes de mim. Reparei de longe que ele era um baita macho. Tinha 1,90 de altura. O pezão nem se fala. O cara era bom demais! Me deu água na boca. Meu dia valeu a pena só por esse carinha.

Gostei mais do show que assisti no dia anterior. Infelizmente a Parada Gay não é a minha praia. Queria ir no Gay Day do Playcenter porque sempre tem algumas bandas tocando. Acho que nem vai ter mais!

Ou então no show do Avenged Sevenfold.

Beijos nos pés!