quarta-feira, 13 de junho de 2012

Show de Rock

No sábado resolvi sair como de costume. Além do meu celular, levei duas revistas para ler na viagem. Isso ajuda a passar o tempo.

No caminho para a parada de ônibus, passei por um vizinho morenaço de pernas grossas e peludas. O cara sempre me dá umas olhadas. Quase passei perto dele para ver se tirava uma foto das pernas dele. Um dia talvez tire!


Chegando na parada, encontrei com outro vizinho de pernas grossas e peludas. Esse estava de chinelo. Não fotografei porque quando me aproximei da parada ele atravessou a rua. Que peninha!


Tomei o busão, mas sem muitos machos de pernas de fora. Estava um pouco frio, apesar do Sol. Passei pelo lago dos patos e avistei um macho descalço e de bermuda. Estava deitado na areia. Ia jogar vôlei de praia com os amigos. Pena que eu estava dentro do ônibus.

Mais pena ainda é que os amigos dele ainda não tinham chegado. Qualquer dia vou saltar naquela parada e ir dar umas voltas naquele lago. Quero fotografar esses carinhas. São todos lindos! Pezão dos grandes!


Quando cheguei no terminal Central, desci para pegar o outro ônibus que ia para a estação de trem. Enquanto esperava, encontrei um conhecido que trabalhou como pedreiro na casa da minha mãe. O macho, apesar de baixinho, tem um pernão bonito. Grosso e peludo. Os pés não são grandes, mas são bem bonitinhos. Tinha ido comprar um sapato para usar para trabalhar. Quando o ônibus dele chegou, nos despedimos.

Avistei um carinha entrando no busão com pernas peludas. Então disfarcei e tirei uma foto do macho. Pena que estava de tênis. Mesmo assim gostei do carinha. Não tinha as pernas muito grossas, mas eram peludas. Adoro uns pelos!

Peguei o trem e fui lendo e escutando música a viagem inteira. O tempo passou rápido, e quando me dei conta, estava em São Paulo. Resolvi dar um role pelo Centro. Não vi nenhum filme, porque só tinha dublado, mas dei uma grande caminhada pelo Viaduto do Chá que sempre tem pernas de fora. Não deu para fotografar ninguém.


Fui no Shopping Light e passei por uma loja de brinquedos. Resolvi entrar e perguntei se tinha o Snoopy em pelúcia. Tinha apenas um. Estava só me esperando. A moça perguntou se era para namorada ou para o namorado. Eu só dei risada. Agradeci e fui embora. Na saída do shopping, parei para atravessar a rua e tinha uma menina segurando um ursinho de pelúcia. Eu também segurava o meu bichinho, só que estava embrulhado. Deu vontade de desembrulhar e sair andando com o Snoopy. Olhei para a menina e mentalizei uma risada.

Depois fui para a Galeria do Rock. Parei em frente uma loja que tinha um vendedor gatinho. Perto de mim estava outro carinha que tentou flertar com o vendedor. Também era um filezinho. Mas acho que o vendedor não curtia o mesmo que a gente.


Poucos caras de bermuda. A maioria estava de calça preta, típico de roqueiro.

Na saída, passei na Galeria Olido. Todo segundo sábado do mês, tem show de Rock. Foram três bandas. Cheguei e já tinha começado por uma banda chamada Era Dinâmica.
  

A segunda banda se chamava O Feliz Amor do Felino Ferido. Tinha um vocalista com dread. Eram bem gatinhos. Tocaram músicas de sua própria autoria. Algumas músicas eram da pesada. Adorei! A última banda a se apresentar chamava La Carne. A platéia foi ao delírio! Foi bom demais! Todo segundo sábado do mês tem show de Rock. Quem for roqueiro apareça porque vale a pena.

Depois disso fiz toda a minha maratona de volta para casa. Terminei de ler a revista e comecei a ler a outra. Cheguei quebrado em casa. Não aguentei assistir muita coisa e fui dormir cedo. Mas antes, tirei umas fotos com o Snoopy. Acho que ele gosta de pés. Quis até cheirar os meus pezinhos.

Ainda não tinha resolvido se ia para a Parada Gay no dia seguinte.

Beijos nos pés!