sábado, 16 de julho de 2011

Carnaval


Não gosto muito de carnaval. Mas tinha um baile próximo ao condomínio militar onde meu amigo morava. Tinha certeza que ele estaria lá. Resolvi ir. Combinei com uma amiga que gostava de carnaval, de nos encontrarmos lá. No fim, minha amiga deu cano. Como já estava lá, resolvi entrar. Muita gente bonita.


Tinha muitos carinhas de bermuda e chinelo. Muitos pés deliciosos. Pés grandes e pequenos. Pernas grossas e finas. Peludas e lisas. Mas todos pareciam ter pés macios. Mas eu só estava interessado no meu amigo. Queria encontrá-lo de qualquer jeito.
 
Procurei no meio da multidão, e nada. Resolvi então curti a noite. Tinha uns carinhas próximos de mim que já estavam bêbados. Teve um que se esfregou na hora de dançar com outro cara que ele nem conhecia. Não tinha cara de gay, estava só de brincadeira, mas o outro cara, aproveitou e roçou muito sua bundinha gostosa na mala do cara.

Os amigos só davam risadas. Bebiam e urinavam. O ambiente já estava começando a cheirar mal. Até que resolvi ir embora.
 


Quando já estava quase no fim do baile, encontrei meu amigo. Quando o avistei, estava bêbado e com uns amigos bem da pesada. Tumultuavam um pouco a balada. Fiquei com receio de sobrar para mim. Fiquei só olhando o carinha de longe. Amarelei em todos os sentidos. Teve uma hora que ele entrou por um portão privativo juntamente com seus amigos.


Acho que era o portão que dava acesso ao condomínio. Era uma área militar restrita para moradores. Não tinha como eu entrar. Esperei ele sair novamente, mas ele não veio. Quando acabou a folia, fui embora a pé para casa, pois não havia ônibus. Foi quase uma hora andando. Cheguei em casa já estava amanhecendo.


Foi muito frustrante, porque minha covardia me impediu de fazer o que tinha vontade. Podia ter aproveitado melhor aquela noite! Mas em compensação, vi um monte de pés bonitos.
 
Beijos nos pés!