quarta-feira, 18 de julho de 2012

Maratona, praia e muita chuva


Apesar do noite, acordei bem disposto. Levantei cedo para aproveitar o máximo do tempo possível. Antes de ir para o banheiro tomar banho, reparei numa perna do gaúcho que estava para fora do lençol. Tinha uma tatuagem bem bonita e seu pezão tinha uma sola bem macia. Ele acordou bem na hora que eu estava olhando para a sua sola macia. Dei bom dia e fui para o banheiro.

Depois do banho, fui tomar o breakfeast. Só aí descobri que estava chovendo. Mesmo assim, me mandei para a praia. Tomei o metrô até Ipanema e depois fui andando até o Leblon. Avistei vários maratonistas, mas o casal do meu Hostil já tinha passado. Tomei muita chuva. Passei pela escultura do Dorival Caymmi e do Carlos Drummond de Andrade, mas não tirei fotos. Entrei na água e veio uma onda que me molhou até a cintura. Fiquei todo molhado. Quase perdi o chinelo dentro do mar. Minha boca ficou com gosto de sal. Vi muito gringo caminhando. Os cariocas pareciam ter medo da chuva.


Andei muito. Fui até a Pedra do Leme. Pena que estava um temporal. Passei por parques, uma área militar, e fui até a bilheteria do Pão de Açúcar, mas estava desprovido de dinheiro para fazer o passeio.


Depois de muito andar, voltei para o Hostel. Tomei banho e fui comer. Quando entrei na cozinha, tinha um gringo falando inglês com uma japonesa que só sabia japonês e um pouco de inglês. Fiz meu prato e fui comer próximo delas.

Fiquei um pouco triste, porque os paulistas tinham bebido e estavam contando vantagens e tirando sarros dos outros. Ficaram tirando sarro das duas japonesas, porque acho que elas não entendiam. Me enchi e fui para o quarto. Subi no terceiro andar do meu triliche e passei um creme para os pés. Um paulista entrou e ficou me olhando e depois foi embora. Acho que gostou do meu pezinho.


Resolvi ligar a TV do celular e assisti o Fantástico. Ainda não tinha reprogramado os canais de TV, e só pegava a Rede Globo. Depois do Fantástico fui dormir.

Amanhã conto mais!

Beijos nos pés!