terça-feira, 31 de julho de 2012

Dicas para ter pés bonitos

Ficar descalço é um prazer nos dias quentes. Na praia, na piscina ou onde quer que a paquera esteja acontecendo. Os pés, com certeza, são sempre bem notados. Chinelos e sandálias vão revelar parte dessa sedução. Portanto, hora de se cuidar.

E isso significa estar com eles esteticamente bonitos, com unhas bem aparadas e lixadas (nunca encravadas) e saudáveis. Isso quer dizer sem qualquer tipo de frieiras, micoses ou colorações estranhas. Calos devem estar sempre sob controle. É o básico!

Como começar a operação?


Pode ser em casa ou com a ajuda de profissionais e tratamentos. O ideal é visitar um podólogo mensalmente. Os problemas que mais afligem os homens são as unhas encravadas e as calosidades. A sessão também reduz o nível de estresse, pois os nervos sensitivos acabam massageados. Para quem trabalha em pé, não há arrependimentos. Serve também para diagnosticar inconvenientes. É preciso manter a higiene em dia para que problemas não surjam ou se alastrem.


Para quem quer tratar em casa, tudo começa com o corte e lixamento das unhas.

Ao contrário do que muita gente faz, nunca retire as cutículas dos pés e das mãos. Elas protegem contra o ingresso de fungos e bactérias. Uma boa esfoliação durante o banho ou mesmo o uso de uma lixa para suavizar as calosidades completam o serviço.

Em seguida, os pés devem ser hidratados com produtos de preferência à base de uréia e óleo de gergelim. Para aumentar a absorção do creme, envolva-os com uma toalha quente por 15 minutos.

Se a pele estiver ressecada a ponto de rachar, aí é hora de visitar um dermatologista. Outra dica é mergulhar os pés numa bacia com água quente e chá preto por trinta minutos. Isso ajuda a diminuir a quantidade de suor e consequentemente a bromidrose, o abominável “chulé”. Meias de algodão, palmilhas e troca de sapatos a cada uso ajudam bastante para quem tem essa sensibilidade.

O que fazer nestes casos:


Calos: Geralmente aparecem por causa dos sapatos apertados, de bico fino ou por pisar inadequadamente. Existem adesivos com substâncias que deixam a pele mais fina. Se não há melhora, retire a calosidade só com um especialista. Nunca corte calos em casa – e isso vale principalmente para os diabéticos.

Joanetes: Inflamação da articulação do dedo maior do pé. Só o ortopedista pode indicar o tratamento adequado.

Olho-de-peixe: É causado por vírus vindo do excesso de umidade nos pés. Dói muito quando se pisa no chão. Nunca use sapatos sem meias. Casos mais graves geralmente só com cirurgia.

Descamação: Se ocorrer no meio da planta dos pés, pode ser fungos. Hora de procurar um dermatologista. Mas se a pele descamar onde há atrito com o sapato, a solução é usar um modelo mais adequado, lixar ou esfoliar levemente, e não relaxar na hidratação, pois ela diminui o ressecamento.

Micoses: Evite pisar descalço em terra. Seque bem os pés após o banho e aplique um talco líquido. Talco em pó provoca degeneração das unhas, pois não permite a oxigenação.


Unhas encravadas: Comum em dedos gordinhos. Procure cortar as unhas dos pés em formato reto e use sapatos confortáveis.

Rachaduras: Sinal de desleixo! O pior é que facilita a entrada de fungos e bactérias. Capriche mais na hidratação.


Os detalhes que diferenciam a visita a um bom podólogo:

Retirada de calosidade nas laterais das unhas.

Lixamento e polimento (eliminação de fungos e bactérias).


Lixamento da calosidade plantar.

Fonte: Beleza: Pés livres, leves e saudáveis. Por Wagner Silva.