terça-feira, 23 de agosto de 2011

As mãos do vizinho

Fui visitar minha mãe e chegando lá, havia uma maritaca enrolada em um fio de pipa. Tentei como pude tirar a bichinha daquele sofrimento. Enquanto buscava uma saída para salvar a coitada, eis que entra o vizinho da minha mãe. Na realidade, ele casou com a filha do vizinho. 

O cara é bem novinho, moreno, ficou um pouco barrigudo depois que casou, mas em compensação, tem umas mãos, pés e antebraços deliciosos.

Quando chegou, tentei colocar uma faca na ponta de uma vara para tentar cortar o fio e libertar a maritaca. Nisso, comecei a me atrapalhar um pouco. Então o vizinho, pegou a faca de minha mão e começou a amarrar na ponta da vara. 

Enquanto segurava a vara, às vezes ele roçava em minhas mãos. Eram mãos grandes, grossas, macias e bem quentes. Aquela pele morena com a palma bem vermelhinha. Tesão total! Aproveitei para reparar em seus braços que eram bem fortes. Seus antebraços eram bem peludos. 

Corpo de macho! Apesar da pouca idade. Pensava nas noites de amor que deveria ter ao lado de sua esposa. Aquelas mãos macias e quentes roçando em seu corpo. Acho que gozaria de prazer. Adoro mãos e pés. Não preciso de mais nada!

Depois de colocar a faca, o vizinho se prontificou em subir na escada para tentar desamarrar o bichano. Enquanto subia, já tinha reparado que ele estava só de chinelo. Foi bom quando ele subiu, porque pude observar melhor seus lindos pés. Estava só eu e ele. Minha mãe tinha ido pegar uma colcha para amortecer a possível queda do bichano. 

Aproveitei e olhei bastante para aqueles pés quarenta. Tinha os dedos bem feitinhos. Suas unhas estavam bem cortadas. Tinha cutícula. Não gosto de tirar a cutícula. Serve de proteção. Sua sola era bem vermelha e não tinha calo, nem cicatriz ou qualquer outro tipo de coisa. 

Comecei a delirar naqueles pés. Massagear e depois dar uma bela esfregada neles! Quase gozei! Quando minha mãe chegou, pedi para ela segurar a escada e fui ao banheiro para ver se tinha gozado na cueca. Saiu só um pouquinho de porra. 

Quando voltei, o vizinho já havia ido. No fim, a coitada da maritaca ficou sem uma pata e foi dada a outro vizinho que tinha casal de pássaros. O importante é que a bichinha conseguiu se salvar!

Beijos nos pés!