terça-feira, 2 de agosto de 2011

Aula prática de Geologia

Como não gostava muito dessa matéria, deixei para fazê-la por último. Estudar pedras, rochas e etc. Não era comigo. 

Tive uma grande sorte de fazê-la como curso de férias. Apesar de ter sido todos os dias da semana, foi muito proveitoso.

O professor que lecionava era um coroa gato. Paciente, ensinava bem e tinha bastante disposição nas aulas práticas. Lembro de um passeio em que fomos para conhecer os tipos de rochas encontradas em uma determinada cidade perto da faculdade. 

Combinamos de manhã de nos encontrarmos numa praça bem no centro da cidade. Todos compareceram. Os colegas estavam bem à vontade. Muitas bermudas e chinelos. Nem precisa dizer como meu dia foi inesquecível!

Chegando ao local, andamos muito para fazer as pesquisas de campo. Era necessário entregar relatório. Alguns colegas levaram filmadora, gravador e máquina fotográfica. 

Eu levei só um caderno de notas e uma caneta. Nada que vimos me interessou. Apenas quando paramos para almoçar. 

Deu para ver muitas pernas e pés. Meu professor deu um tempo para nós podermos ir passear pela cachoeira.

Então fomos caminhando até lá. Alguns colegas trouxeram sunga e outros ficaram apenas de bermuda. Tinha um guri que era bem novinho e resolveu ficar de cueca, pois tinha esquecido a sunga. Tomamos banho e nos divertimos a beça. 



Quando chegou a hora de irmos, alguns colegas resolveram aprontar com o Julinho. Foram embora com todas as roupas dele. Quando saímos da água, começou a chover. Julinho procurou suas roupas e nada. 

Então alguém disse que alguém tinha levado. Tivemos que caminhar pela cidade até o ponto do ônibus da excursão na chuva. Por outro lado, tive o prazer de ver aquela bunda branca enquanto caminhava para o busão. 

Chegando lá, todos deram risadas porque estávamos encharcados e meu colega só de cueca molhada. Imagine um marmanjo de cueca branca molhada. No caminho, até pensei em tirar a camisa e dar para ele se cobrir. Mas achei melhor deixar todo mundo apreciar o que ele tinha de mais belo!

Foi um dia inesquecível! Entrei no ônibus todo molhado. Alguns colegas tiraram a roupa molhada e torceram lá mesmo. Estava com uma bermuda que o tecido secou logo. 

Quis tirar a camisa para torcer mas como sou muito magrinho, preferi ficar de camiseta. Chegamos de onde partimos e fomos tomar o ônibus para casa. 

Na parada, fiquei com um colega do Julinho que era muito gato. O cara era moreno de olhos verdes, corpo todo peludo. Calçava quarenta e tinha um pé bem vermelhinho. 

Teve uma hora enquanto estávamos sentado no banco, que ele tirou o pé do chinelo e dobrou a perna em minha direção e encostou de leve sua sola em meu joelho. Fiquei todo arrepiado. 

Ele perguntou por que estava arrepiado, então disse que minha camisa ainda estava molhada e o vento gelou ela. Não sei se ele acreditou muito nisso, mas foi o que pensei na hora. Só sei que o pé dele era uma delícia! Se eu não tivesse de tênis, tinha roçada a sola do meu pé no dele. 

Me deu um ímpeto de tirar o tênis e fazer isso, mas ia pegar muito mal. Tinha outras pessoas na parada. Então me contentei em ficar apenas com aquela esfregada de sola no joelho. No outro dia, fomos fazer a prova final. Não fui muito bem, mas deu para passar. Aquele curso de férias foi o mais prazeroso que havia tido!

Beijos nos pés!