segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Paquerando com a mãe

Num belo domingo, fui almoçar na casa da mamma. Chegando lá, ela queria pintar a casa e queria que eu fosse ver a pintura de uma casa na vizinhança parecida do jeito que ela queria. Quase nunca ela pede nada, então resolvi ir. 

No caminho, passou um carinha num carro. Parecia que estava meio bêbado. O carro andava em ziguezague. Quando chegamos a tal casa, paramos em frente a uma parada de ônibus para disfarçar. 

Enquanto minha mãe explicava sobre a tal pintura, um carinha que estava na parada ficou me olhando. Não deu para eu corresponder porque minha mãe estava perto. Por mais que ela saiba que eu sou gay, procuro preservá-la de certos constrangimentos. O cara era bem novinho, branco, cabelos lisos, tentou disfarçar mais ficava me olhando pelo rabo do olho. 

A única coisa que me lembro é que ele tinha um baita pezão. Calçava uns 43, se bobear, 44. Seu tênis era branco e de marca. Não prestei atenção na marca. Apenas tentei reparar se estava de meia, mas a calça cobria. Então deixei quieto. Mas fiquei imaginando o quanto devia ser macio. 

Quando estávamos voltando, esbarrei no caminho com outro filé. Esse me deixou louco. Estava de chinelo e de bermuda. Só reparei que era loiro, mas me concentrei em suas pernas e pés. 

Tinha pernas peludas e com pelos dourados. Seus pés eram grandes, brancos, bem rosados e pareciam ser bem macios. Estava frio. Imaginei aqueles pés grandes me aquecendo nesse inverno gelado. 

Pena que o cara passou por mim e eu não pude nem aproveitar muito. Disfarcei o quanto pude para minha mãe não perceber que tinha gostado dos pés do carinha. Acho que ela não percebeu! Quando estávamos quase chegando em sua casa, encontramos com o namorado da filha da vizinha. O cara parece um pitboy. 

Novinho, mas com cara de macho. Anda com corrente. O cara é um baita moreno, cabelos tipo moicano, tem uma bunda bem empinada. Ainda não reparei na mala. Apenas em seus pés. Deve calçar 41, mas seus pés devem ser bem vermelhos e gordinhos. Ele está um pouquinho acima do peso. 

Gosto de homens assim porque tem os pés bem gordinhos e macios. Quando chegamos em frente ao portão de sua casa, outro vizinho passou e cumprimentou a gente. Esse tem uns antebraços grossos e peludos. O cara é magrinho. Tem um pouco de barriga, apesar de ter uns vinte e poucos anos, mas tem umas mãos! Amanhã conto sobre ele!

Beijos nos pés!