quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Despedida da academia

Resolvi mudar de cidade, então tive que abandonar a academia. No último dia, resolvi ir a tarde. Quanto homem delicioso. O carinha do segundo lugar estava lá. Ficou me olhando o tempo todo. Me deu vontade de me aproximar. Como iria me mudar de cidade, resolvi não tomar nenhuma atitude. Se o cara tivesse muito afim, tenho certeza que iria chegar chegando. Macho que é macho, quando quer, não pede, ele pega.

Aproveitei o máximo aquela tarde. Vi muitos homens malhados. No vestiário, vi o máximo de machos possíveis. Pena que nesse dia não consegui ver nenhum nu. Comecei, então, a lembrar de várias coisas que tinham acontecido lá.

Certa vez entrei e tinha um carinha beijando uma garota na entrada. Parecia um tesãozinho. Quando entrei no vestiário, tinha um moreno que vez ou outra, encontrava com ele. Quando eu chegava para começar a malhação, ele se arrumava para ir embora. 

Nesse dia, ele puxou conversa. Teve uma hora que ele tirou a toalha e deu para ver tudo. Quando tirou a toalha, ficou de frente para mim. Parecia que estava pedindo. Nesse dia aproveitei. Olhei com vontade. De cima abaixo. Pena que no melhor momento, o carinha que tava beijando a namorada na entrada, entrou e cortou nosso barato. Ele ficou meio sem graça e saiu para se trocar do lado de fora, onde tinha aquele corredor sala, com armários e bancos. Eu também saí, pois o vestiário tinha começado a encher, e me troquei lá fora. Foi bom porque vi o carinha do beijo só de cueca.


Teve uma vez que fazia abdominal e sentou um cara para fazer uma máquina. O cara virou para mim e deu para ver pela lateral do calção, a cueca dele. Ele percebeu e continuou o exercício de costas. Acho que não gostou muito! A única bola fora que dei durante todo o tempo que estive lá foi essa!


Fiz amizade com um carinha que era um pouco mais velho do que eu. Sempre fazíamos alongamento, esteira, bicicleta e outros aparelhos juntos. Conversávamos como amigos. Certa vez, ele pediu para eu ir com ele para o seu curso de computação. Não quis ir porque trabalhava e vinha direto do serviço para a academia. Acho que ele não gostou muito. Parou de conversar comigo. 

Depois de uns tempos, nem o vi mais na academia. Uma vez passei sem querer em frente do seu curso e ele estava lá. Senti muita falta de sua companhia, porque foi um dos poucos caras com quem troquei idéias. Também tinha o coroa que comeu a loira de quatro. Ele sempre conversava comigo. Acho que porque eu era bem novinho!

Apesar de não ter ficado com ninguém, passei momentos agradáveis lá.

Beijos nos pés!