quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Roleta russa

Apesar de não ter terminado o namoro oficialmente, minha prima resolveu investir num colega de trabalho. O cara era bem mais velho. Devia ter uns trinta anos. Era moreno claro, tinha olhos castanhos, cabelos castanhos claros. Tinha um cheiro bom.

Nesse dia, me encontrei com minha prima no shopping em que ela trabalhava, pois ela levaria o futuro paquera para Santos. Descemos a serra conversando o tempo todo. O cara parecia ser gente fina!

Quando chegamos, fui cumprimentar o pessoal e minha prima tratou de sumir do recinto levando o paquera. Eu passei a noite fazendo sala para o pai do filho da outra prima. Esse era um tesão! Pena que era hétero. Tinha um corpão! Era ruivo. Amanhã conto sobre ele.

De madrugada, ouço um barulho. Era o paquera de minha prima. Chegou quebrado! Não sei o que minha prima fez com ele. Só sei que chegou e caiu de bruços e dormiu em questão de segundos. Comecei a reparar em seu belo corpo. Suas pernas eram grossas e peludas. Tinha pelos castanhos. Adoro pelos claros! Ficou de bruços e reparei na sola deliciosa que ele tinha. Sua pele era clara e seus pés eram bem brancos. Calçava uns 42 e sua sola era bem rosada. Reparei porque a porta estava aberta, tinha crianças no quarto, e uma luz de abajur estava acesa. Resolvi ir beber água. Quando passei por ele, me aproximei de seus pés e senti o calor de seu corpo. Fiquei com vontade de dar uma esfregada neles. Apenas encostei meu joelho de leve em sua sola só para sentir a maciez e a quentura de seus pés. Ele já dormia profundamente. Se tivesse esfregado nos pés dele, acho que ele nem iria sentir. Foi uma tentação passar a noite no mesmo quarto que aquele macho.

No dia seguinte, nos mandamos por volta das quatro para não pegarmos muito engarrafamento. O cara resolveu ir embora com outros amigos que tinha encontrado. Então, minha prima comentou que eles tinham se beijado, mas que o namorado dela beijava bem melhor! Lembro que só fiz dar risada.

Na semana seguinte, o carinha ia novamente com a gente. Só que na última hora, o cara desistiu porque algum parente dele resolveu brincar de roleta russa e acabou morto. Que macabro!

Amanhã conto do ruivo.

Beijos nos pés!