sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Ex-maridos

Essa prima tinha dois filhos. Também morava em Santos. O pai do seu primeiro filho era branco bronzeado de olhos verdes. Tinha uns trinta anos. Era peludo, tipo Tony Ramos. Homem assim deve dar muito prazer. Todos sabemos que isso é excesso de testosterona. Deve ter uma libido fenomenal! Seu corpo não me atraia muito. A única coisa eram seus pés 40 que eram peludos e tinha umas solas bem vermelhas. Devia dar muito prazer na hora do sexo. Vez por outra, encontrava com ele lá. Ele vinha visitar o filho, levar presentes, pagar a pensão e outras coisas mais!

O pai do outro filho era mais novo. Tinha uns vinte e dois anos. Era branco, pernas grossas e peludas. Seus pelos do corpo eram ruivos, mas alguns eram bem dourados. Seus cabelos também eram ruivos. Me dava muito tesão. A primeira vez que o vi, fiquei maluco! Ele brincava com o menino só de bermuda e descalço. Fiquei paralisado de ver tanta gostosura. Adoro homens assim!
Enquanto brincava, reparava nos pés dele. Eram 42 bem grandes e largos. Aquela sola rosada que transborda do chinelo. O dedão branco com unha curta. Deu até vontade de sentir aqueles pés deslizando pelo meu corpo! Sentir aquela maciez toda! A sola além de rosada, parecia ser bem macia e quentinha. Encostei nele uma hora que passei pelo corredor e senti o calor do corpo daquele macho. Queria mesmo era ter esfregado meus pés no dele. Iria fazer a festa. Nunca tinha visto um ruivo tão lindo!

Certa vez, fomos todos para a praia. Enquanto brincava com os meninos, ele começou a circulas os pés na areia. Ficava admirado porque brincava como criança, apesar de eu ter acabado de completar 18 anos. Enquanto fazia castelos de areia, ele circulava seus pés próximos do meu. Rezei para ele encostar nos meus pés. Até que teve uma hora que ele circulou próximo de mim e encostou de leve em minha sola. Fez tipo uma cosquinha. Lembro que olhei para ele e fiquei imóvel. Acho que ele esperava alguma reação. Olhei para ele e ele riu e olhou para minha prima que também ria. Me fiz de indiferente, mas adorei aquela roçada. Pena que foi muito rápida e nossos pés estavam sujos de areia. Não deu para sentir a maciez e o calor que havia imaginado ser. De qualquer maneira, foi um dia muito agradável e inesquecível!

Amanhã conto mais sobre ele.

Beijos nos pés!