segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Os coroas da academia

Depois de alguns meses frequentando a academia, apareceu um coroa. Devia ter uns 40 anos. O macho era bom. Tinha um corpo macio, um sorriso maroto, sempre era simpático e me cumprimentava. Aliás, era simpático com todos.

Comecei a me apaixonar pelo carinha. Contava as horas para ir para a academia, só para vê-lo. Até que um dia, ele apareceu com uma garota. Acho que era namorada. Não sei! Podia ser só amiga. De qualquer maneira, foi um balde de água fria. Minha adrenalina subiu e desceu ao mesmo tempo. Desisti do cara.

Tinha um coroa que fazia academia que devia ter uns 40 anos. Apesar da idade, estava com tudo em cima. Não tinha amizade com quase ninguém, mas esse coroa sempre era simpático comigo.


Puxava conversa. Me ajudava com alguns aparelhos. Ele só treinava com pesos nos tornozelos e na barriga. Às vezes o treinador se irritava com ele porque ele chegava cedo, acho que umas sete horas, e ficava até o fechamento que era as onze horas. Certa vez o treinador se irritou porque era véspera de feriado e não tinha quase ninguém e o treinador queria fechar mais cedo.


Enquanto me arrumava para ir embora, o treinador veio reclamar do cara que queria ficar até as onze. Também só uma vez, o coroa podia ter cedido. Fez o treinador ficar até as onze. Ele parava a musculação para ir azarar as meninas. Às vezes chegava, e ele estava no refeitório ou então azarando alguém.

Apesar de toda azaração, certa vez ele disse que tinha comido uma loira de quatro. Disse isso enquanto eu trocava de roupa. Ficou olhando para meu traseiro. Fez uma cara de comedor.

Acho que era uma indireta, sinto que às vezes ele me olhava com vontade de querer me comer. Apesar de ser um coroa enxuto, com um corpão. Tinha pele branca, corpo peludo, pés grandes, mas mesmo assim, não tinha tesão por ele. Nunca tenho tesão pelos amigos.
Teve um coroa bem simpático que sempre me cumprimentava. Ele parecia o Owen Wilson. Certa vez encontrei com ele no Shopping e ele me cumprimentou acenando com a mão e sorriu.


Não tinha percebido que era ele e não fiz nada. Apenas o olhei. Me arrependi. Pareci orgulhoso e metido a besta. Só me dei conta da burrice que fiz depois que o cara foi embora.


Nunca mais o vi para poder pedir desculpas. Sou bem reservado e tenho receio de dar bola fora.

Amanhã tem mais!

Beijos nos pés!